Encontrados restos de elefante de 20 milhões de anos

Um grupo de operários da construção achou restos das presas, mandíbula e crânio de um elefante de mais de 20 milhões de anos na república russa da Inguchétia."Os restos pertencem à espécime conhecida como elefante do Cáucaso Sul, que habitou esta região há 20 milhões de anos", disse um porta-voz do Centro Arqueológico dessa república limítrofe com a Chechênia.A fonte assegurou que o elefante tinha presas de sete metros de comprimento e 70 centímetros de espessura, o que levou à dedução de que o animal tinha dimensões "enormes"."Os restos foram achados a 50 metros de profundidade", assinalou. "Continuamos investigando, na busca de novos restos do elefante, que nos permitam recompor o rosto completo do animal".As obras de construção foram suspensas provisoriamente por ordem das autoridades locais, a fim de facilitar o trabalho dos arqueólogos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.