EFE/Policía Metropolitana de Londres
EFE/Policía Metropolitana de Londres

Enfermeira que tentou ajudar os feridos na Ponte de Londres morreu a caminho do local

Kirsty Boden tinha 28 anos e, segundo a família, adorava ajudar as pessoas; ela foi esfaqueada quando se dirigia ao local do ataque

O Estado de S.Paulo

06 de junho de 2017 | 11h19

LONDRES - A polícia identificou nesta terça-feira, 6, mais uma vítima dos atentados de Londres: Kirsty Boden, uma enfermeira de origem australiana de 28 anos.

“Enquanto corria em direção ao perigo, em um esforço para ajudar as pessoas na ponte, Kirsty tristemente perdeu sua vida”, disse a família por meio de um comunicado divulgado pela Polícia Metropolitana. Os pais da jovem afirmam que ela morreu após ser esfaqueada por um dos terroristas, segundo o jornal Sydney Morning Herald.

“Ela era a pessoa mais extrovertida, amável e generosa, e amava ajudar as pessoas (...), ajudar era o que ela gostava de fazer, ser enfermeira era sua vida”, diz o comunicado. “Estamos orgulhosos de sua ação valente que demonstra seu altruísmo (...), não somente naquela noite, mas durante toda a sua vida.”

O britânico James McMullan, de 32 anos, não teve sua morte confirmada oficialmente, mas sua irmã Melanie declarou na segunda-feira à emissora Sky News que o cartão de crédito dele foi encontrado com um dos corpos. A família acredita que será notificada em breve sobre o falecimento. A primeira vítima identificada foi a canadense Christine Archibald, de 30 anos.

Os atentados de sábado deixaram 7 mortos e 48 feridos. Os três terroristas que atropelaram com uma van diversos pedestres que passavam pela Ponte de Londres, e depois esfaquearam algumas pessoas em uma região de bares e restaurantes, já foram identificados. / EFE, REUTERS e AP

Tudo o que sabemos sobre:
Reino UnidoLondresTerrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.