Giampiero Corelli / AP
Giampiero Corelli / AP

Enfermeira é acusada de matar 38 pacientes 'chatos' na Itália

Daniela Poggiali, de 42 anos, é suspeita de injetar potássio em doentes de hospital de Ravenna, no norte do país

O Estado de S. Paulo

15 de outubro de 2014 | 09h16



ROMA -  A enfermeira italiana Daniela Poggiali, de 42 anos, foi detida na terça-feira, 14, acusada de ter matado ao menos 38 pessoas por que elas eram "irritantes".

Segundo a agência Ansa, a Polícia de Ravenna, no nordeste da Itália, disse suspeitar que ela não gostava de tratar pacientes que precisavam de cuidado extra ou que tinham parentes intrometidos. A enfermeira, no entanto, nega as acusações e diz estar sendo vítima de um complô.

O caso chamou a atenção da Polícia após a morte de uma senhora de 78 anos, em 8 de abril. A idosa deu entrada no hospital com ferimentos leves e morreu subitamente. Investigações apontaram que ela sofreu uma parada cardíaca após receber altas doses de potássio no sangue.

Tudo o que sabemos sobre:
Itália

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.