Paolo Miranda/AFP
Paolo Miranda/AFP

Enfermeiro fotógrafo mostra cotidiano em hospital na Itália durante crise do coronavírus

Imagens mostram exaustão dos trabalhadores da saúde que estão na linha de frente do combate à covid-19

Redação, O Estado de S.Paulo

22 de março de 2020 | 13h07

Uma enfermeira dorme em uma cadeira após doze horas de trabalho, com a máscara ainda no rosto. Outra parece estar chorando. O enfermeiro e fotógrafo Paolo Miranda conta no Instagram a luta diária de seus colegas no hospital de Cremona, norte da Itália.

A cidade está localizada na Lombardia, a região mais afetada na Itália, de longe, pela pandemia do covid-19, com mais de 3 mil mortes dentre as 5 mil registradas em todo o país. O sistema hospitalar regional, com benefícios muito bons, foi inundado por ondas de pacientes.

Paolo Miranda tenta mostrar em suas imagens o cotidiano dos trabalhadores da saúde, exauridos pela epidemia.

Sob seu auto-retrato em um elevador, a caminho de visitar os doentes, ele descreve o projeto como uma aliança de seu "trabalho" como enfermeiro e sua "maior paixão, a fotografia".

"Não somos heróis, somos profissionais e, acima de tudo, seres humanos", comenta em uma de suas publicações, na qual mostra uma enfermeira tentando consolar uma companheira, agachada no meio de um corredor, afundada e com a cabeça entre as mãos.

"O medo de contágio também é forte entre nós, profissionais de saúde", escreve ele, à imagem de dois colegas se abraçando, com a máscara e a touca.

Mas Paolo Miranda não apenas imortaliza a exaustão, o medo e a dor. Em suas fotografias também há sorrisos, os de sua "equipe", com os polegares levantados. “Não desistimos apesar do cansaço. Você fica em casa ”, afirma Paolo Miranda.

Sua conta do Instagram, @paolomiranda86, já tem mais de 17.400 seguidores. "Proteja-se bem", pede um deles./AFP

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.