''''Engomado'''', Romney vira alvo de críticas

Concorrentes republicanos acham que rival é demagogo e janota

Patrícia Campos Mello, Sweetwater, Flórida, O Estadao de S.Paulo

28 de janeiro de 2008 | 00h00

Além de subir nas pesquisas e encostar no senador John McCain, o republicano Mitt Romney despontou nos últimos dias como favorito para o título de mais odiado entre os candidatos. Chamado de janota e demagogo, ele é alvo de ataques ferinos de todos os seus concorrentes de partido. "Nunca entre em uma briga com um porco", disse McCain, referindo-se a Romney. "Vocês dois se sujam e o porco gosta." O coordenador de campanha de Mike Huckabee, Ed Rollins, foi ainda mais explícito: "Preciso fazer com que minha raiva por pessoas como Romney, de quem eu quero quebrar todos os dentes, não atrapalhe meu raciocínio." A revista esquerdista The New Republic o comparou àquele "amigo riquinho que irrita todo mundo". Seu costume de usar sua fortuna para divulgar anúncios negativos contra outros candidatos é uma das fontes de antipatia. Outra crítica contra Romney é a de que ele é demagogo - veste bandeiras de acordo com a ocasião. Ontem, num comício em Sweetwater para um público em grande parte formado por cubano-americanos, não fez por menos. Apareceu com o mesmo sorriso incrivelmente branco, bronzeado e cabelo impecavelmente arrumado com gel. Para completar o look, uma bem engomada guaiabeira (camisa típica da América Central) que trazia os dizeres: "museu histórico da Baía dos Porcos". "Defendo a liberdade da América e dos nossos amigos em Cuba, que sofrem com Fidel Castro", dizia, para aplauso geral. Ele tentava marcar pontos com a comunidade cubana - cujos grandes formadores de opinião, como o deputado Lincoln Díaz Balarte e o senador Mel Martínez, anunciaram apoio a Mc Cain. Muitos o acusam de não ter princípios claros. Em Michigan, por exemplo, deixou de lado a imagem de superempresário e entrou na onda de populista econômico, prometendo trazer de volta "todos" os empregos que foram embora do Estado. Certa ocasião, disse que era um caçador de longa data para conquistar votos do lobby de armas. Depois confessou que só havia caçado umas duas vezes.Mas seu tino para os negócios e imagem de bom administrador têm atraído muitos eleitores, em meio às incertezas sobre a economia americana. "Romney é muito capaz para tocar negócios, tem em seu DNA habilidade para consertar situações difíceis, como a que enfrentamos hoje", disse seu eleitor Rodolfo Pita, cubano que mora há 30 anos em Miami. Romney não perde uma oportunidade de alfinetar Mc Cain, que confessou não ser um expert em questões econômicas. "Eu não preciso de briefings sobre a economia", disse. Em entrevista ao The New York Times, Dan Schnur, estrategista republicano, comparou os dois candidatos. Romney é o certinho, formado em Harvard, enquanto McCain é o rebelde que fez muitos amigos na Academia Naval. "John Mc Cain e seus amigos batiam no Mitt Romney no intervalo", brincou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.