Entenda a crise nuclear iraniana

Veja abaixo a evolução da crise iraniana: Dezembro de 2002 - Uma TV dos EUA mostra imagens de satélite de duas instalações nucleares iranianas, até então desconhecidas. Outubro de 2003 - Irá diz que sua finalidade é pacífica e aceita assinar um adendo ao TNP, pelo qual se sujeita a inspeções mais amplas e de última hora. Fevereiro de 2004 - Surgem informações de que o pai da bomba atômica do Paquistão passou ao Irã o know-how sobre a fabricação. Novembro de 2004 - O Irã concorda em congelar todas as atividades relacionadas à produção de urânio enriquecido - que pode ser usado tanto para usinas de energia elétrica como na fabricação de armas. Julho de 2005 - Mahmud Ahmadinejad assume a presidência do Irã. Alinhado com os radicais do regime, adota um discurso anti-Ocidente Agosto de 2005 - O Irã rejeita proposta européia de lhe conceder incentivos econômicos em troca do abandono do enriquecimento de urânio. Janeiro de 2006 - O governo iraniano anuncia a retomada da pesquisa para enriquecimento de urânio. Fevereiro de 2006 - A direção da AIEA aprova resolução encaminhando a questão ao Conselho de Segurança da ONU. Irã e Rússia negociam proposta de que urânio seja enriquecido em usinas russas. 6 de março de 2006 - Reunião da AIEA avalia cooperação iraniana - passo prévio à reunião do Conselho de Segurança para analisar o caso.

Agencia Estado,

06 Março 2006 | 11h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.