Entenda a polêmica sobre a barreira entre EUA e México

O presidente americano George W. Bush sancionou a lei que prevê a construção de uma barreira de cerca de 1,1 mil km na fronteira entre os Estados Unidos e o México.Os que apóiam a lei nos Estados Unidos afirmam que a barreira seria importante para lidar com o problema da imigração ilegal.Mas o presidente mexicano, Vicente Fox, chegou a comparar a barreira ao Muro de Berlim e vários países da América Central também são contra.Confira abaixo os principais pontos da polêmica que envolve a construção do muro entre Estados Unidos e México.O que afirma a lei do muro?A lei determina a construção de uma barreira dupla de cerca de 1,1 mil km fechando parte dos 3,3 mil km da fronteira entre Estados Unidos e México.Ela foi aprovada no dia 14 de setembro de 2006 pela Câmara dos Representantes e, no dia 29 do mesmo mês, pelo Senado, sem nenhuma modificação.Por fim, no dia 26 de outubro, o presidente George W. Bush a sancionou.Analistas chamaram a lei de lei "casca de ovo", pois ela não inclui verbas para a construção do muro.Quanto vai custar a barreira?Os republicanos afirmam que o custo ficará acima de US$ 2 bilhões.Os democratas, por sua vez, garantem que o muro terá um custo de US$ 7 bilhões, levando em conta informações do Departamento de Segurança Interna, que fez o cálculo de quanto custaria a construção da barreira dupla por cada milha (1,6 km).De onde podem sair as verbas para a construção?O muro poderia ser financiado com a Lei de Concessão de Orçamento Federal para o Departamento de Segurança Nacional relativa ao ano fiscal de 2007.Esta lei foi promulgada por George W. Bush no dia quatro de outubro de 2006. A assinatura dela gerou confusão com a lei do muro, que ainda não tinha sido promulgada.Esta lei de concessão inclui mais de US$ 33 bilhões para programas de segurança, dos quais US$ 1,2 bilhão "podem" ser destinados para a construção do muro ou para outras medidas de segurança na fronteira.Por que um muro deve ser construído na fronteira?Para os críticos o muro servirá para "tapar o sol com a peneira". O muro vai cobrir apenas um terço da fronteira com o México.Atualmente, apenas 120 km da fronteira estão demarcados, com cercas. Apesar de ser "vendido" como um projeto que protegerá os Estados Unidos, ele não prevê a construção de uma barreira entre Estados Unidos e o Canadá. Apesar de não se colocarem em acordo, as duas partes do debate insistem na necessidade de uma solução para o problema, já que o fluxo migratório aparenta continuar crescendo.Segundo o Instituto de Política Migratória, o gasto dos Estados Unidos com o controle fronteiriço cresceu dos US$ 700 milhões em 1986 para cerca de US$ 3 bilhões em 2006.Mas estes dólares não ajudaram a parar a imigração ilegal, segundo dados do mesmo instituto, já que o número de imigrantes ilegais cresceu de quatro milhões (em 1986) para os cerca de 12 milhões atuais.Qual é a posição da Casa Branca?O presidente George W. Bush queria uma reforma muito mais ampla nas leis de imigração, que incluía a legalização dos 12 milhões que estão sem documentação regularizada e que vivem no país.Mas a ala conservadora de seu partido qualificou a legalização de anistia a pessoas que desrespeitaram a lei (ao entrar ilegalmente no país). O presidente nunca conseguiu que o Congresso, com maioria republicana, se colocasse de acordo para aprovar uma reforma nas leis de imigração.Qual é o impacto humano que deve ter a barreira?Se o muro for construído, as rotas que ainda ficarão abertas provavelmente serão apenas as mais perigosas. Com isso, os casos de mortes poderão aumentar.Segundo a patrulha de fronteira americana, em 2005, 460 imigrantes morreram tentando ir para os Estados Unidos, o que superou o recorde de 2000, com 383 mortos. Estes números não são considerados completamente precisos. Além disso, uma investigação do Centro de Investigação Pew mostra que quase 50% dos imigrantes sem documentos não entram nos Estados Unidos ilegalmente pelas fronteiras, mas com vistos de turistas ou de trabalho temporário.A medida tem algum teor político?Para muitos analistas, não há dúvidas de que se trata de uma medida eleitoral. Os republicanos querem mostrar mão-de-ferro para resolver o problema da imigração ilegal. Mas não eles foram os únicos. Alguns democratas (incluindo a ex-primeira dama Hillary Clinton, potencial candidata à Presidência americana em 2008) também apoiaram a lei do muro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.