AP Photo/Fernando Llano
AP Photo/Fernando Llano

Entenda o apagão que afeta a Venezuela desde 7 de março

Falha na hidrelétrica de Guri e em linhas de transmissão são as hipóteses mais prováveis para o blecaute

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de março de 2019 | 14h20

A Venezuela foi às escuras na tarde da quinta-feira, 7. Desde então, o serviço elétrico retornou esporadicamente em algumas regiões do país ao longo do fim de semana, mas a maior parte do território segue às escuras. 

Causas do apagão

Uma investigação do New York Times, no entanto, citando fontes da estatal Corpolec, indica que as turbinas da Hidrelétrica de Guri – responsável por 80% da energia elétrica da Venezuela– deixaram de funcionar. Além disso, a subestação responsável por levar energia para quatro em cada cinco venezuelanos, chamada San Gerônimo B, está paralisada.

Sua substituta, San Gerônimo A, funciona de maneira intermitente e provavelmente é responsável pelo envio parcial de energia para alguns Estados do país. 

Como falta pessoal qualificado e peças para a manutenção em Guri, o governo já tentou religar as turbinas da hidrelétrica cinco vezes, desde a quinta-feira, sem sucesso, ainda conforme o relato do Times. A instabilidade do sistema tem provocado incêndios em subestações menores. 

Versão oficial

O governo do presidente Nicolás Maduro não dá detalhes do que aconteceu. A versão oficial, apresentada sem provas, diz que o país sofre uma “guerra elétrica” travada pelos Estados Unidos, que, por meio de um ciberataque, derrubou a energia da Venezuela. 

Consequências:

- As filas por  combustível aumentaram no fim de semana. Apenas 100 dos 1,8 mil postos de gasolina do país estão funcionando

- Há registro de saques em Caracas, com as pessoas tentando levar alimentos não perecíveis e água para casa

- Sinal de celular está escasso nas principais cidades do país

-  Aulas foram suspensas e foi decretado feriado em toda Venezuela

- Moradores dizem que, sem energia, a comida armazenada em geladeiras residenciais tem apodrecido. Alguns restaurantes e mercados contam com geradores

- O metrô de Caracas não funciona. Ônibus são escassos

- Ao menos 15 pessoas, todas pacientes renais, morreram desde a quinta-feira, porque máquinas de diálise não funcionam. 

- sem caixas eletrônicos e máquinas de débito e crédito, o dólar virou a moeda não oficial no país

Como os líderes do governo e da oposição tem reagido ao blecaute

Maduro disse que está fazendo enormes esforços para lutar contra o “ciberataque” e a energia deve voltar em definitivo nas próximas horas

O opositor Juan Guaidó montou um gabinete de crise e tem divulgado dados, que não ainda não foram confirmados de maneira independente, sobre o apagão. Segundo ele, cinco Estados estão no escuro. A luz voltou de forma parcial a outros sete e em 11 o serviço é precário.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.