Entidade oferece recompensa por nazistas na América do Sul

O Centro Simon Wiesenthal,entidade judaica que se dedica a buscar criminosos nazistas daSegunda Guerra Mundial, lançará uma nova campanha na AméricaLatina. A chamada "Operação Última Chance" prevê o pagamento derecompensas para quem denunciar o paradeiro de ex-nazistas naArgentina, no Brasil, no Uruguai e no Chile. A operação começou na Lituânia, na Estônia e na Letônia emjulho de 2002. Ele já revelou os nomes de 488 suspeitos em 20países, e 99 desses casos foram levados a Ministérios Públicosnacionais, segundo nota do Centro Wiesenthal. "Essa informação permitiu que se emitissem três ordens deprisão e dois pedidos de extradição, além de promover dezenasde investigações que estão em curso", diz o texto. Após a Segunda Guerra Mundial, centenas de criminosos deguerra nazistas fugiram para a América Latina, ondeeventualmente até recebiam ajuda dos governos para seestabelecer. Um comando israelense sequestrou na Argentina AdolfEichmann, que foi julgado em 1961 e enforcado por ter sidocondenado como mentor do Holocausto. Documentos encontrados em 2003 na Argentina mostraram queJosef Mengele, o "Anjo da Morte" do campo de concentração deAuschwitz, chegou de Gênova à Argentina com um passaporte falsoemitido pela Cruz Vermelha. O Centro Wiesenthal estima que entre 150 e 300 supostoscriminosos de guerra tenham entrado na Argentina depois daderrota alemã na Segunda Guerra Mundial. (Por Lucas Bergman)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.