Entrega de Milosevic não alivia país

O dia após a entrega do ex-ditador iugoslavo Slobodan Milosevic ao Tribunal Penal Internacional para a antiga Iugoslávia (TPI) não trouxe muito alívio.Muitos cidadãos ficaram felizes com o fato de o principal acusado de crimes de guerra ter sido finalmente levado à Justiça, mas eles têm medo de mostrar seu entusiasmo.Os longos anos de governo nacionalista autocrático mostraram seus efeitos. Até intelectuais moderados falaram de comportamento ilegal sob pressão internacional e a oposição de extrema-esquerda chamou isso de chantagem e traição.Ao mesmo tempo, embora a Iugoslávia esteja recebendo créditos mundiais, está afundando numa crise política com a renúncia do governo federal e uma divisão formal na coalizão governista Oposição Democrática Sérvia.Na conferência de doadores em Bruxelas, 250 participantes de 40 países decidiram nesta sexta-feira apoiar a Iugoslávia com créditos e doações de US$ 1,28 bilhão.Em Viena, ministros de países nascidos da antiga Iugoslávia assinaram um documento sobre sucessão e divisão de Estados.Como uma conseqüência lógica dos desacordos durante os eventos dos últimos dias, o primeiro-ministro Zoran Zizic, do Partido Socialista Popular, de Montenegro, apresentou sua renúncia ao presidente iugoslavo, Vojislav Kostunica.Logo depois, o Partido Democrático da Sérvia, de Kostunica, informou à imprensa sobre sua decisão de distanciar-se da coalizão governista sérvia e formar seu próprio grupo no Parlamento.O presidente Kostunica teve dois outros inesperados encontros durante o dia, com o patriarca da Igreja Ortodoxa sérvia e altos oficiais do Exército.Breves comunicados após os dois encontros informaram sobre "os temores do presidente acerca do futuro do país" e sua promessa de "manter a estabilidade a qualquer custo".Apesar dessas declarações dramáticas e dos alertas da polícia e das forças do Exército, a situação parecia estar sob controle.Os partidários de Milosevic continuam seus protestos diante do parlamento, onde ocorrerem alguns disparos esporádicos, mas a situação não se agravou como na noite anterior, quando muitos jornalistas foram atacados e feridos.Líderes do partido de Milosevic e do extremista Partido Radical insistem em novas eleições em todos os níveis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.