Entrevista: 'A Armênia é hoje o país mais democrático da região' 

Em entrevista ao 'Estadão', embaixador armênio diz que seu país tem muito que aprender com o Brasil na luta contra a corrupção

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de outubro de 2020 | 06h00

Responsável pela Embaixada da Armênia em Brasília desde julho, o embaixador Arman Akopian afirma que seu país tem muito o que aprender com Brasil sobre a luta contra a corrupção. Em 2018, uma série de manifestações pacíficas que ficaram conhecidas como Revolução de Veludo pôs fim ao governo do ex-presidente Serzh Sargsyan (2008-2018), sob acusações de corrupção. Desde então, o país é considerado um exemplo de luta democrática pacífica que levou a uma transição de poder. 

No meio de uma pandemia, ele reconhece que seu típico trabalho de diplomata ainda não conseguiu avançar, mas espera poder aprofundar as parcerias com o Brasil no que diz respeito à luta contra a corrupção. "A luta contra a corrupção é um assunto hoje muito importante na Armênia. E podemos aprender algumas lições com o Brasil", diz o embaixador em entrevista ao Estadão. Veja trechos da entrevista:

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Armênia [Europa]diplomacia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.