Enviado da ONU diz que Hezbollah violou fronteira

Um enviado especial da Organização das Nações Unidas (ONU) disse hoje que um ataque do Hezbollah em uma disputada área de fronteira no sul do Líbano violou a linha desenhada pela instituição para a divisão entre os territórios de Líbano e Israel. Um soldado israelense morreu ontem, quando guerrilheiros do Hezbollah dispararam um míssil Sagger contra um tanque de Israel na região das Granjas de Chebaa, onde as fronteiras de Líbano, Síria e Israel se encontram. Artilheiros e aviões de guerra israelenses retaliaram com um ataque a supostos esconderijos da guerrilha na periferia das Granjas de Chebaa. A região continuava tensa neste domingo. Soldados israelenses atiraram para o ar com a intenção de dispersar um grupo libanês de atiradores de pedras do outro lado de fronteira, disseram testemunhas. Cerca de 150 filhos e filhas de guerrilheiros do Hezbollah feridos em confrontos com forças israelenses no sul do Líbano reuniram-se a centenas de outros libaneses para atirar pedras contra postos de observação no Portão de Fátima e no Monte Sheik Abbad, ambos na fronteira entre os dois países, disseram testemunhas. Não há informações sobre feridos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.