Enviado da ONU negocia envio de missão de paz a Darfur

O secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan, irá enviar um comboio e um oficial de alto escalão para o Sudão em um esforço para persuadir o governo do país a permitir uma nova missão de paz da ONU em Darfur, informaram oficiais do órgão nesta sexta-feira. A decisão de enviar Lakhdar Brahimi, que representou Annan no Afeganistão e Iraque antes da retirada em dezembro, acontece depois que o governo de Cartum se recusou a garantir vistos para que uma equipe pudesse viajar para o Sudão e fazer os preparativos para as forças da ONU. No começo desta semana, a União Africana (UA) concordou em transferir, em setembro, a autoridade de seus 7.300 soldados em Darfur para as Nações Unidas. A missão atual, com falta de verbas e equipada precariamente, não conseguiu controlar os conflitos na região, onde quase 200 mil pessoas morreram em três anos de conflito. O governo sudanês ainda não se posicionou sobre o estabelecimento da missão da ONU, mesmo depois de assinar um acordo de paz com forças rebeldes no começo de maio. Brahimi será acompanhado pelo oficial Hedi Annabi, o segundo mais importante nas forças de paz da ONU, informou o porta-voz do órgão, Stephane Dujarric. "Haverá consultas com o governo do Sudão sobre o papel que a ONU poderá exercer no processo de paz em Darfur", disse o porta-voz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.