Enviado da ONU rejeita encontro com Taleban

O enviado especial das Nações Unidas para o Afeganistão rejeitou um pedido do Taleban por uma reunião durante sua rodada de conversações com autoridades afegãs e paquistanesas, disse hoje um porta-voz da ONU. Mas o embaixador do Taleban em Islamabad afirmou que foi ele que não aceitou o pedido da ONU pelo encontro e acusou o enviado Lakhdar Brahimi de ser um agente dos Estados Unidos. O Taleban se aproximou das Nações Unidas pedindo uma reunião entre Brahimi e o embaixador taleban Abdul Salam Zaeef, disse o porta-voz da ONU Eric Falt. Brahimi, indicado pelo secretário-geral da ONU, Kofi Annan, afirmou que o encontro "não é possível neste momento", disse Falt a repórteres. O Taleban deu uma versão diferente hoje, afirmando que foram as Nações Unidas que sugeriram o encontro. Autoridades talebans no Afeganistão orientaram Zaeef a recusar o pedido - afirmando que Brahimi "estava trabalhando em interesse da América", disse Zaeef numa entrevista coletiva. O embaixador do Taleban acusou as Nações Unidas de mostrarem-se "indiferentes" em relação à morte de civis pelos bombardeios anglo-americanos, e de agirem em conluio com os EUA em seus esforços para fazerem curvar o regime taleban e o Afeganistão. Zaeef disse que 1.500 civis já morreram até agora nos bombardeios liderados pelos EUA. As Nações Unidas não reconhecem o Taleban como o governo do Afeganistão. O antigo governo eleito deposto pelo Taleban em 1996 ainda ocupa a cadeira afegã na Assembléia Geral da ONU. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.