Enviado da ONU se reúne com Suu Kyi em Mianmar

Ibrahim Gambari também vai se encontrar com o novo primeiro-ministro da Junta Militar, tenente-general Thein Sein

Efe,

07 de novembro de 2007 | 06h30

O enviado especial das Nações Unidas para Mianmar, Ibrahim Gambari, deve se reunir nesta quarta-feira, 7, com a líder de oposição e Nobel da Paz, Aung San Suu Kyi, e com o novo primeiro-ministro da Junta Militar, tenente-general Thein Sein. Segundo fontes da ONU, ele informará aos diplomatas estrangeiros credenciados no país o conteúdo das suas reuniões. Por enquanto está descartada uma reunião a três entre ele, Suu Kyi e um membro da Junta Militar. A proposta de uma reunião tripartida não foi confirmada pelo escritório das Nações Unidas em Bangcoc. O órgão se limitou a dizer que Gambari manteve "intercâmbios francos e exaustivos" com todos os oficiais da Junta Militar. Até o momento, o diplomata nigeriano manteve encontros com vários ministros, além de representantes de grupos étnicos e da Cruz Vermelha. Mas ainda não se sabe se ele poderá se reunir com o líder da Junta Militar, general Than Shwe, apesar de ser o portador de uma mensagem pessoal do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon. Desde que as forças de segurança começaram a sufocar as manifestações de protesto, as autoridades admitiram 10 mortos e quase 3 mil detidos. Mas a dissidência calcula 200 mortos e mais de 6 mil detidos. A visita de Gambari vai até 8 de novembro. Mas fontes diplomáticas não descartam que ele permaneça em Mianmar durante mais tempo se for necessário para obter "resultados concretos".

Tudo o que sabemos sobre:
MianmarONUprotestomonges

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.