Enviado da UE pede início da construção do Estado palestino

O enviado especial da União Européia ao Oriente Médio, Miguel Angel Moratinos, disse hoje que os palestinos deveriam renunciar aos ataques suicidas contra Israel e defendeu o estabelecimento de um Estado palestino "o mais rápido possível". Depois de um encontro com o primeiro-ministro libanês, Rafik Hariri, em Beirute, Moratinos afirmou que o conflito israelense-palestino encontra-se em "uma situação muito dramática" após o cerco por parte das tropas israelenses ao quartel-general do líder Yasser Arafat, na Cisjordânia, em represália a um ataque suicida em Tel Aviv no qual morreram seis pessoas e o atacante."Condenamos energicamente o ataque suicida ocorrido ontem em Tel Aviv. Estamos dizendo aos palestinos de todas as classes, de todas as idades, que eles precisam trabalhar para a criação de um futuro Estado palestino, e não para se explodirem" disse Moratinos.O enviado europeu defendeu a rápida criação de um Estado e o início por parte dos palestinos da confecção de uma nova constituição, dos preparativos para eleições, além de "uma nova esperança".Mais tarde, Moratinos se reuniu com o presidente libanês, Emile Lahoud, e com o presidente do Parlamento Nabih Berri para discutir o conflito entre Israel e palestinos e as ameaças americanas contra o Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.