Enviado de Bush para as Américas decide renunciar

Otto Reich, enviado especial do presidente George W. Bush para as Américas, confirmou sua renúncia ao cargo e disse que sairá frustrado com a falta de solução para os casos de Cuba e Venezuela, com a indiferença com que foi tratado pelo Congresso e com o pouco progresso econômico na América Latina. Reich disse que trabalhará na equipe de campanha para a reeleição do atual presidente e que em seguida se dedicará à consultoria em uma empresa que ele mesmo criará, com a esperança de algum dia chegar a ser "muito rico". Indicou, no entanto, que ainda não foi marcada uma data para sua partida - o que depende de Condoleezza Rice, a assessora de Segurança Nacional de Bush. Disse que estava a par das versões da imprensa segundo as quais deixaria o governo em junho, mas não quis confirmá-las. "Disse ao presidente que ficaria até quando pudesse, mas que sairia este ano", afirmou o assessor presidencial aos repórteres após falar sobre segurança regional em um foro do Conselho das Américas. Reich, político de origem cubana, não conseguiu obter do Senado uma audiência de confirmação depois de ser indicado por Bush para subsecretário de Estado para o Hemisfério Ocidental. O cargo está atualmente ocupado por Roger Noriega. Senadores democratas e republicanos o consideraram como "um radical de extrema direita" que dificultaria qualquer melhora nas relações entre os EUA e Cuba.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.