Enviado do Dalai Lama aprova conversas com a China

Um enviado do Dalai Lama disse naterça-feira que o dia de conversas com a China sobre o levanteno Tibete foi um "bom primeiro passo" e que os dois lados devemse encontrar novamente depois que ele se reportar ao líderespiritual exilado. A revolta, maior desafio ao comando chinês na região emquase duas décadas, inspirou protestos anti-China durante orevezamento da tocha olímpica e levou líderes ocidentais apedir um boicote das Olimpíadas de Pequim. Alguns analistas não acreditam que a recente propostadiplomática represente uma ruptura significativa, já que, desde2002, houve seis rodadas de conversas entre a China e osenviados do Dalai Lama, nenhuma bem-sucedida. Mesmo assim, osdois enviados tibetanos lançaram uma nota positiva depois de seencontrarem com os negociadores chineses que conhecem há anos. "Tivemos conversas muito francas... Temos uma boa harmonia,então isso sempre ajuda", disse à Reuters Lodi Gyari, noaeroporto de Hong Kong, enquanto se preparava para voltar àÍndia, onde se estabelece o governo em exílio. Mas Lodi Gyari e o outro enviado, Kelsang Gyaltsen, derampoucos detalhes sobre a reunião, dizendo que precisavam de umadeclaração do Dalai Lama. "Concordamos em conversar com eles novamente, então achoque é um bom sinal, mas faremos um comunicado formal depois denos reportarmos à sua Santidade, quando chegarmos na Índia",disse. (Reportagem adicional de Ben Blanchard, em Pequim, e JohnRuwitch, em Hong Kong) REUTERS MR FM

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.