Enviado do papa chega a Bagdá

O emissário papal, cardeal Roger Etchegaray, chegou a Bagdá, onde vai se reunir com o presidente iraquiano, Saddam Husssein, em uma tentativa de evitar um possível guerra entre o país árabe e os EUA.O cardeal Etchegaray, um francês basco que já realizou várias missões em nome de João Paulo II, manterá um encontro amanhã com o vice-primeiro-ministro Tarek Aziz e reuniões com outros membros da cúpula iraquiana. O encontro com Saddam deverá ocorrer nos próximos dias. Etchegaray tentará convencer o governante iraquiano a cooperar com a comunidade internacional e vai lhe entregar uma carta pessoal do Sumo Pontífice. "É uma missão no extremo limite da esperança", disse o alto prelado ontem, antes de deixar Roma. O enviado pontifício, que chegou procedente de Amã em um avião da ONU, destacou que o papa quer apoiar todos os esforços de paz. O Vaticano indicou que Etchegaray dirá aos iraquianos que devem cooperar plenamente com os inspetores das Nações Unidas e lhes pedirá "um passo decisivo" para evitar a guerra. Ao mesmo tempo, assegurou que tentará convencer Saddam a fazer sua parte, desarmando-se e permitindo a livre inspeção da ONU. A paz "está nas mãos dos homens e, portanto, é sempre possível, também aqui" no Iraque, afirmou Etchegaray, em uma declaração transcrita pelo jornal do Vaticano, L´Osservatore Romano. O cardeal acrescentou que reiterará a Saddam "a firme disposição do pontífice em fazer todo o possível para evitar a guerra". O jornal citou as declarações de Etchegaray em um artigo de primeira página intitulado "Todos juntos pelo bem supremo da paz". O objetivo da missão do cardeal Etchegaray, presidente emérito do Pontifício Conselho de Justiça e Paz é "demonstrar a preocupação de João Paulo II a respeito da paz e ajudar as autoridades iraquianas a refletir sobre a necessidade de empreender uma cooperação concreta, baseada na justiça e no direito internacional". "A paz está nas mãos dos homens, sempre é possível. Também neste caso, nesta região, assim como é possível onde estão sendo combatidas dezenas de guerras esquecidas", afirmou o enviado pontifício. João Paulo II desenvolve uma intensa atividade diplomática para evitar um ataque americano ao Iraque. Com esta finalidade, o papa receberá em audiência o vice-premier Aziz na sexta-feira e o secretário-geral da ONU, Kofi Annan, na próxima semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.