Enviado do papa sela reaproximação com Havana

Secretário de Estado do Vaticano se reunirá hoje com chanceler e outras autoridades cubanas

Guantánamo, CUBA, O Estadao de S.Paulo

25 de fevereiro de 2008 | 00h00

O secretário de Estado do Vaticano, Tarcisio Bertone, enviado do papa Bento XVI à Cuba, celebrou ontem uma missa em Guantánamo. Bertone está na ilha a convite do governo e dos bispos cubanos, que pretendiam com isso comemorar o aniversário de dez anos da viagem do papa João Paulo II a Cuba. Sua visita também marca a reaproximação da Igreja e de Havana, em meio à sucessão de Fidel Castro, que renunciou na semana passada. Bertone passou pelas cidades de Santiago e Santa Clara, onde inaugurou uma estátua de bronze do falecido papa João Paulo II de 2,2m - presente do Vaticano - e instalada próxima da estátua do guerrilheiro argentino Ernesto Che Guevara. Ontem, em Guantánamo, ele falou para 3 mil pessoas. "Bento XVI me encarregou de dizer a todos vocês que ocupam um lugar no coração do papa", afirmou Bertone, após admitir a possibilidade de que o próprio pontífice visite a ilha. "Vocês devem ser o presente e o futuro da Igreja em Cuba", completou. Bertone foi acompanhado pelo vice-ministro das Relações Exteriores, Eumelio Caballero, e pelo embaixador no Vaticano, Raúl Roa. Para hoje e amanhã, ele tem encontros com o chanceler Felipe Pérez Roque. Na histórica viagem que fez a Cuba em 1998, o papa João Paulo II escolheu Santa Clara para celebrar sua primeira missa na ilha. Na seqüência, ministrou uma missa na Praça da Revolução, em Havana, que foi transmitida ao vivo pela rádio e a TV para todo o país. EFE E AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.