Enviado dos EUA a Israel faz pressão

George Mitchell cobra fim de construções em assentamentos

Reuters, AFP e Associated Press, JERUSALÉM, O Estadao de S.Paulo

29 de julho de 2009 | 00h00

O premiê israelense, Binyamin Bibi Netanyahu, e o enviado do governo americano para o Oriente Médio, George Mitchell, anunciaram ontem, após reunião em Jerusalém, terem obtido progresso rumo a um acordo sobre a construção de assentamentos judaicos em terras ocupadas por Israel na Cisjordânia. Os dois, entretanto, não revelaram o teor do suposto progresso.O governo americano vem pressionando Israel a deter as construções nos assentamentos em território palestino. O argumento do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, é o de que o gesto melhoraria as perspectivas de um possível diálogo de paz na região.Netanyahu, entretanto, defende novas construções nos assentamentos para acompanhar o "crescimento natural" da população de colonos judeus."Creio que estamos progredindo rumo a um entendimento que nos permita continuar, na verdade completar, um processo de paz entre nós e nossos vizinhos palestinos e, finalmente, com toda a região", disse Bibi.As divergências entre americanos e israelenses sobre as construções nos assentamentos são responsáveis pelo período mais tenso nas relações entre os dois governos nos últimos 20 anos.Numa tentativa de aplacar a irritação israelense, Mitchell lembrou que os Estados Unidos e Israel são "amigos e aliados". Na segunda-feira, ele tinha dito que os israelenses deveriam começar a "ocupar-se" dos assentamentos como um passo em direção à paz no Oriente Médio.Os palestinos, por sua vez, negam-se a retomar negociações com Israel enquanto Bibi não detiver as atividades nos assentamentos judaicos.DIPLOMACIAMitchell é apenas um dos vários enviados americanos de alta hierarquia que visitaram Israel esta semana. Na segunda-feira, o secretário de Defesa, Robert Gates, reuniu-se com seu colega israelense, Ehud Barak, para discutir sobre o programa nuclear iraniano. Israel considera que o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, poderia, dentro de três anos, dispor de tecnologia para obter armas atômicas. Em outra frente, um grupo internacional de políticos veteranos disse que enviará uma delegação, chefiada pelo ex-presidente americano Jimmy Carter e pelo bispo sul-africano e Prêmio Nobel da Paz Desmond Tutu, para visitar Israel e os territórios palestinos no próximo mês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.