Enviado dos EUA pede atuação rápida no conflito de Darfur

O novo enviado dos Estados Unidos para o Sudão, Andrew Natsios, pediu neste sábado no Cairo uma atuação rápida para resolver o conflito na província sudanesa de Darfur.Após reunir-se com o secretário-geral da Liga Árabe, Amre Moussa, o representante americano afirmou aos jornalistas que quanto mais lentidão houver na ação, mais aumentam os riscos. "O fator tempo é muito importante", disse."Concordamos em atuar com rapidez, não só com o governo sudanês e os rebeldes, mas também com a União Africana, a ONU, a União Européia e a Liga Árabe", acrescentou Natsios.Segundo o americano, suas conversas com Moussa abordaram uma proposta egípcia, sobre a qual não deu detalhes, para aplicar a resolução 1.706 do Conselho de Segurança da ONU sobre Darfur.Essa resolução, adotada em agosto, considera que o posicionamento de tropas internacionais em Darfur é o único meio de frear a violência. O Sudão, no entanto, a rejeitou até agora e só aceitou o desdobramento de tropas da União Africana."Concordamos em dar passos rápidos e práticos imediatamente e trabalharmos juntos para aplicá-los", insistiu Natsios, que não forneceu mais detalhes.O representante dos EUA, que realiza sua primeira visita ao Egito desde que assumiu o cargo, em setembro passado, ressaltou a importância de haver tropas de paz "fortes" em Darfur até que se restabeleça a situação, para proteger os civis e deter a violência.Natsios também tratou com Moussa do posicionamento de tropas internacionais especiais em Darfur e afirmou: "Não chegamos a nenhuma solução a este respeito, mas os EUA apóiam a resolução 1.706, assim como a União Européia, porque procede da ONU"."Tentamos encontrar a maneira adequada para aproximar a posição do governo sudanês à da ONU sobre este assunto", acrescentou Natsios.Durante sua visita ao Cairo, o enviado dos EUA para o Sudão deve reunir-se também com o ministro de Exteriores egípcio, Ahmed Abul Gheit, entre outros representantes do Egito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.