Enviado dos EUA reúne-se com Arafat e pede paz

Israelenses e palestinos sofreram demais nos 14 meses de confrontos e devem buscar a paz, disse nesta quarta-feira o mediador norte-americano Anthony Zinni após uma reunião com o presidente da Autoridade Palestina, Yasser Arafat. "Precisamos acabar com o conflito e voltar ao caminho da paz", disse Zinni no segundo dia da missão de trégua.Os Estados Unidos lançaram a iniciativa após muitos meses de inércia, pois estão preocupados com a possibilidade de o conflito interferir nos esforços para manter os Estados árabes moderados dentro de uma coalizão para enfrentar o terrorismo internacional, a começar pela rede Al-Qaeda, liderada pelo milionário saudita Osama bin Laden.Arafat recebeu Zinni e o subsecretário de Estado dos EUA, William Burns, durante a tradicional refeição de Iftal, realizada no fim da tarde para quebrar o jejum do Ramadan, mês sagrado para os muçulmanos.Após o encontro, Zinni e Arafat fizeram declarações à imprensa mas não responderam às perguntas dos jornalistas. Arafat disse estar "comprometido com a paz como opção estratégica" e que deseja um Estado palestino que conviveria "lado a lado com o Estado de Israel".O Estado judeu acusa Arafat de ser responsável pelo prosseguimento da violência e muitos israelenses têm dúvidas sobre o desejo de paz com Israel após o rompimento das negociações de paz e a eclosão da violência. Arafat culpa Israel pela rebelião, lembrando que houve um aumento "dos ataques, assassinatos, cercos e bloqueios israelenses".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.