Enviado dos EUA vai a Pequim para abrir conta de Pyongyang

O vice-secretário assistente do Tesouro americano para Financiamento do Terrorismo, Daniel Glaser, chegou hoje a Pequim para "ajudar" a China a transferir o dinheiro norte-coreano congelado pelos Estados Unidos há mais de um ano, principal obstáculo para o desarmamento da Coréia do Norte.Segundo fontes diplomáticas americanas, Glaser aterrissou neste domingo, 24, em Pequim e deve se reunir com as autoridades chinesas para desbloquear os US$ 25 milhões em contas norte-coreanas no Banco Delta Asia de Macau, que foram congelados por Washington por suposta ligação com lavagem de dinheiro e venda de armas.O delegado da Coréia do Norte nas negociações com os EUA, a Coréia do Sul, o Japão, a Rússia e a China, que se realizaram em Pequim na semana passada, abandonou a capital como medida de protesto por não ter recuperado o dinheiro, condição prévia para que o regime stalinista feche seu principal reator nuclear, em Yongbyon.Washington reforçou o problema das contas com Pequim dias antes, quando decidiu desbloqueá-las para devolução do dinheiro a Pyongyangpor meio de uma conta norte-coreana no Bank of China, em Pequim.A China reagiu negativamente à decisão, já que os EUA também proibiram seus bancos de comercializar com o Banco de Macau, uma medida que Pequim teme que possa ser aplicada também ao Bank of China.Glaser não fez comentários na sua chegada ao aeroporto chinês, mas em comunicado assinado pelo Tesouro dos EUA, antes de abandonar Washington, assinalou que, com sua viagem a Pequim, "oferecerá assistência para solucionar o problema dos fundos norte-coreanos congelados no Banco Delta Asia"."A política e os assuntos diplomáticos foram resolvidos, agora se tenta implantá-los", assinalou Glaser no documento."Tanto as autoridades de Macau como as chinesas deixaram claro que querem estar seguras de que a implantação do acordo se adapta às suas próprias leis e às suas obrigações internacionais"."Enviamos um especialista do Tesouro para ajudar os macauenses e chineses a avançar com a implantação", diz o comunicado.Fontes russas assinalaram que Glaser poderia também se reunir com autoridades norte-coreanas em Pequim, uma informação ainda não confirmada.Pyongyang realizou seu primeiro teste nuclear dia 9 de outubro. Em 13 de fevereiro, os seis países negociadores chegaram a um acordo para que o reator de Yongbyon fosse fechado até 14 de abril em troca de 50 mil toneladas de petróleo.O desencontro das contas norte-coreanas no Banco Delta Ásia poderia representar um retrocesso para o acordo, que prevê uma segunda fase, na qual o regime stalinista deverá desmantelar todos os sus programas nucleares em troca de outras 950 mil toneladas adicionais de petróleo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.