Choi Bu-seok/Reuters
Choi Bu-seok/Reuters

Enviado dos EUA vê negociações francas com Coreia do Norte

Segundo Bosworth, país concorda com importância de discussão multilateral para solucionar impasse nuclear

Efe e Reuters

10 de dezembro de 2009 | 08h29

O enviado especial dos Estados Unidos para a Coreia do Norte, Stephen Bosworth, disse nesta quinta-feira, 10, em Seul, que teve uma conversa franca com diplomatas norte-coreanos durante sua visita de três dias ao país, mas não se reuniu com o líder norte-coreano, Kim Jong-il.

Veja também:

especialLinha do tempo: Ameaça nuclear norte-coreana

especialEspecial: As origens do impasse norte-coreano

Bosworth disse ter encontrado o primeiro vice-chanceler norte-coreano, Kang Sok-ju, homem apontado como o chefe da diplomacia nuclear do país e um dos assessores mais próximos de Kim.

"Eles concordaram com o papel central do grupo dos seis (EUA, China, Rússia, Coreia do Sul, Coreia do Norte e Japão) nas negociações e com a necessidade de cooperação", disse o diplomata.

O enviado disse também que também não transmitiu às autoridades norte-coreanas uma carta do presidente americano, Barack Obama."De fato, a mensagem sou eu", disse o diplomata.

Ainda de acordo com Bosworth, que deu uma entrevista coletiva em Seul,  há espaço para uma retomada das negociações multilaterais com a Coreia do Norte.

Para o diplomata, é importante retornar ao ponto estabelecido na declaração conjunta de 2005 das negociações multilaterais, quando a Coreia do Norte se comprometeu a desmantelar todos seus arsenais nucleares e a abandonar todos seus programas nucleares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.