Enviados europeus deixam Israel em protesto

Os enviados especiais da União Européia (UE) ao Oriente Médio, Josep Piqué e Javier Solana, abandonaram hoje Tel Aviv depois do fracasso de sua missão em Israel, onde não aceitaram participar de uma reunião com o primeiro-ministro Ariel Sharon após seu veto ao encontro de ambos com o líder palestino Yasser Arafat."Trata-se de um grave erro", declarou Piqué, presidente doConselho de Ministros da UE, ao concluir um encontro em Tel Aviv com o chanceler israelense, Shimon Peres.Peres tentou convencer Piqué e Solana, alto representantepara a política externa e de segurança da UE, de que o veto aopedido de um encontro com o presidente palestino, sitiado emRamallah, Cisjordânia, não deveria ser interpretado como umadescortesia à UE.O chefe da diplomacia israelense não teve êxito e, ao final,os dois emissários europeus decidiram anular o encontroprogramado em Jerusalém com Sharon.A missão incluiu também um encontro problemático com oministro da Defesa israelense, Benyamin Ben-Eliezer. Em nome dos 15 membros da UE, Piqué pediu ao ministro respeito aos"compromissos sobre segurança".Por sua vez, o conselheiro de Sharon, Raanan Gissin, expressou seu desdém para com a tentativa de mediação européia. "Os europeus não estão na mesma categoria (que os americanos)" disse ele. "Os europeus não são negociadores honestos. Elesnão nos ofereceram nada aceitável".

Agencia Estado,

04 de abril de 2002 | 18h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.