Enviados europeus deixam Israel em protesto

Os enviados especiais da União Européia (UE) ao Oriente Médio, Josep Piqué e Javier Solana, abandonaram hoje Tel Aviv depois do fracasso de sua missão em Israel, onde não aceitaram participar de uma reunião com o primeiro-ministro Ariel Sharon após seu veto ao encontro de ambos com o líder palestino Yasser Arafat."Trata-se de um grave erro", declarou Piqué, presidente doConselho de Ministros da UE, ao concluir um encontro em Tel Aviv com o chanceler israelense, Shimon Peres.Peres tentou convencer Piqué e Solana, alto representantepara a política externa e de segurança da UE, de que o veto aopedido de um encontro com o presidente palestino, sitiado emRamallah, Cisjordânia, não deveria ser interpretado como umadescortesia à UE.O chefe da diplomacia israelense não teve êxito e, ao final,os dois emissários europeus decidiram anular o encontroprogramado em Jerusalém com Sharon.A missão incluiu também um encontro problemático com oministro da Defesa israelense, Benyamin Ben-Eliezer. Em nome dos 15 membros da UE, Piqué pediu ao ministro respeito aos"compromissos sobre segurança".Por sua vez, o conselheiro de Sharon, Raanan Gissin, expressou seu desdém para com a tentativa de mediação européia. "Os europeus não estão na mesma categoria (que os americanos)" disse ele. "Os europeus não são negociadores honestos. Elesnão nos ofereceram nada aceitável".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.