Epidemia de cólera já matou 201 na Guiné-Bissau

A Organização das Nações Unidas (ONU) informou hoje que mais de 12.220 pessoas foram infectadas pela cólera em Guiné-Bissau. Já foram registradas 201 mortes por causa da doença no país. A porta-voz do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Veronique Taveau, afirmou que a epidemia no país do oeste africano é especialmente difícil de ser controlada. Segundo ela, a capital, Bissau, concentra mais da metade dos casos, mas a doença se espalhou por todas as províncias, desde seu surgimento no meio de maio. Veronique expressou ainda o temor de que a campanha eleitoral no país espalhe ainda mais a doença, pois haverá grandes concentrações de pessoas em ambientes pouco higiênicos. Outra porta-voz da ONU, Elisabeth Byrs, afirmou que a entidade já gastou US$ 1 milhão para controlar o problema no país. A cólera é uma doença gastrointestinal transmitida pela água contaminada, relacionada a condições precárias de higiene, à superpopulação e à falta de saneamento. A doença pode ser tratada com relativa facilidade, mas provoca muitas mortes em países pobres.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.