Equador agradece apoio para investigar morte da ministra

O presidente do Equador, Rafael Correa, agradeceu no domingo ao Brasil, Chile, França e Venezuela pelo apoio técnico oferecido para esclarecer as causas do acidente que vitimou, na quarta-feira passada, sua ministra da Defesa, Guadalupe Larriva.Em mensagem exibida pela televisão local, Correa agradeceu à ajuda do Chile, que enviou oito técnicos, e à da França, que também enviou neste fim de semana uma equipe da empresa fabricante dos helicópteros Gazzele.O governante se limitou a agradecer ao Brasil e à Venezuela por oferecer apoio técnico, mas não revelou o tipo de colaboração que fornecerão.Larriva, de 50 anos, a primeira mulher equatoriana a ocupar esse cargo, e sua filha Claudia, de 17 anos, morreram junto com cinco militares quando viajavam em dois helicópteros Gazzele, na província litorânea de Manabí.As primeiras versões oficiais falam de um acidente, mas Correa formou uma junta investigadora para esclarecer as causas do incidente.Correa passou temporariamente a pasta da Defesa ao ministro da Economia, Ricardo Patiño.O chefe de Estado especificou que a sucessora de Larriva será uma mulher "progressista", de preferência da província do Azuai, no sul do país, a mesmo região de Larriva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.