Equador ainda decide futuro da Odebrecht no país, diz Correa

O presidente do Equador, Rafael Correa, disse que seu país ainda não decidiu se aceitará a proposta feita pela construtora brasileira Norberto Odebrecht SA, para finalizar uma disputa sobre uma problemática usina hidrelétrica.A Odebrecht informou ontem que concordaria em pagar por trabalhos de reparos na obra e reservar US$ 43 milhões para pagar possíveis compensações por problemas que levaram ao fechamento da hidrelétrica em junho.Mas Correa disse nesta quinta-feira que o Equador ainda analisa se a Odebrecht "será expulsa" do país.Ele disse que "em princípio, minha preferência é que eles não voltem ao Equador".O Equador acusa a empresa de ter feito uma construção de qualidade ruim. O governo equatoriano congelou os ativos da empresa brasileira no país e ameaça não pagar um empréstimo de US$ 200 milhões feito para a construção da obra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.