Equador cede ao ´populismo´ latino-americano, diz ´FT´

O Financial Times, principal jornal de economia e finanças da Europa, afirma nesta quarta-feira que o presidente do Equador, Alfredo Palacio, "se rendeu ao populismo" e está "empurrando" o país no sentido da onda de "nacionalismo agressivo" vivida na América do Sul. O diário se refere à decisão do governo equatoriano de cancelar o contrato da empresa petrolífera americana Occidental, a maior produtora de hidrocarbonetos do país, e se apropriar de seus bens.O Financial Times afirma que Palacio tem estilo bem distinto dos "líderes andinos radicais" Evo Morales, presidente da Bolívia, e Hugo Chávez, presidente da Venezuela. Mas o jornal acrescenta que a presença da Occidental no país vinha sendo contestada por sindicalistas e organizações indígenas no Equador, e que o tema pode influir nas eleições presidenciais de outubro.As surpresas da BolíviaO espanhol ABC afirma que após ter ameaçado interesses espanhóis na Bolívia, com a nacionalização das companhias de gás e de petróleo do país, Evo Morales "agora ameaça a Espanha com o fim da gestão de aeroportos bolivianos".O diário afirma em relação às nacionalizações bolivianas, que "a cada dia o país oferece uma nova surpresa". O ABC se refere ao anúncio feito pelo governo boliviano de que irá revisar o contrato da empresa espanhola que gerencia três dos principais aeroportos do país desde 1997 e irá repassá-lo para uma estatal boliviana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.