Equador destina US$ 4,9 milhões para emergência com vulcão

O presidente do Equador, Alfredo Palacio, afirmou que a cidade de Pelileo receberá US$ 4,9 milhões para implementar o plano de contingência elaborado pelo Comitê de Emergência de Operação Provincial depois que inesperadas atividades do vulcão Tungurahua atingiram a cidade.De acordo com comunicado da Presidência, o dinheiro será investido no atendimento a refugiados e na recuperação de animais e das terras de lavoura.A decisão foi tomada depois de o chefe de Estado sobrevoar a região e visitar várias áreas afetadas pelas cinzas emanadas do vulcão que, na sexta-feira, apresentou uma inusitada atividade com a emissão de rochas candentes, gases e cinza.Palacio também solicitou que sejam destinados US$ 800 mil para a aquisição da maquinaria necessária na recuperação das terras de lavoura.Como ações urgentes, o presidente determinou a mobilização de 22 unidades móveis e remédios como broncodilatadores, antibióticos, colírios e sistema de hidratação.O diretor do Instituto Geofísico, Hugo Yepes, disse que o vulcão Tungurahua, localizado no centro andino do Equador, continua "instável", o que torna impossível prever seu comportamento para as próximas horas."O vulcão continua instável. Assim, o que podemos é, com base na monitoração, ver o comportamento, mas não antecipar critérios", afirmou Yepes.O vulcão, que tem 5.029 metros sobre o nível do mar, está localizado na fronteira das províncias de Tungurahua e Chimborazo.Centenas de pessoas foram evacuadas e milhares de hectares acabaram afetados pela queda de cinzas do vulcão, o que provocou a morte de animais como cavalos, vacas e galinhas.

Agencia Estado,

16 de julho de 2006 | 00h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.