Arquivo/Efe
Arquivo/Efe

Equador e Grã-Bretanha devem discutir 'caso Assange'

O fundador do WikiLeaks fugiu para a embaixada em Londres em junho do ano passado

AE, Agência Estado

04 de junho de 2013 | 02h41

QUITO - O ministro de Relações Exteriores do Equador, Ricardo Patiño, disse na segunda-feira que deve se encontrar com o seu homólogo britânico, William Hague, em Londres, para discutir o caso do fundador do WikiLeaks, Julian Assange, que está na embaixada do Equador em Londres há quase um ano.

Assange fugiu para a embaixada em junho do ano passado, em um último esforço para evitar a extradição para a Suécia, onde é procurado para interrogatório sobre acusações de estupro e abusos sexuais. Ele nega as acusações.

O Equador concedeu asilo ao fundador do WikiLeaks em agosto, mas o governo britânico se recusou a conceder a Assange uma passagem segura para deixar a embaixada.

"Eu vou encontrar com o secretário W. Hague em 17 de junho", disse Patiño em sua conta no Twitter. "Esperamos que a reunião com o secretário de Relações Exteriores britânico nos leve a uma maneira de resolver o caso de asilo de Julian Assange."

Na semana passada, Patiño disse que seu governo pretende enviar ao governo da Grã-Bretanha novos documentos legais pedindo uma passagem segura para Assange. Além disso, o ministro também havia declarado que planeja visitar Assange. / DOW JONES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.