Equador expulsa grupo militar dos EUA

O Equador ordenou que todos os 20 funcionários do Departamento de Defesa dos EUA pertencentes a um grupo militar na embaixada norte-americana deixem o país até o fim do mês, segundo informações obtidas pela Associated Press.

AE, Agência Estado

25 de abril de 2014 | 03h09

Em carta datada de 7 de abril, o Equador ordenou que o grupo interrompa todas as operações, disse o porta-voz da embaixada norte-americana Jeffrey Weinshenker.

O presidente Rafael Correa reclamou publicamente em janeiro da presença de muitos militares norte-americanos no Equador. O presidente disse que o grupo consistia de 50 pessoas e os acusou de se infiltrarem em todos os setores do país.

Weinshenker informou que o grupo militar possui 20 funcionários do Departamento de Defesa, nem todos uniformizados. No ano passado, Washington forneceu US$ 7 milhões em auxílio à segurança equatoriana, incluindo treinamento técnico para manutenção de aeronaves e cooperação no combate às ações de tráfico de drogas, tráfico humano e terrorismo, disse o porta-voz norte-americano.

Ele também afirmou que a cooperação militar dos EUA no Equador acumula quatro décadas e que todas as atividades foram realizadas com a aprovação explícita dos equatorianos. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Equadoreuadiplomacia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.