Equador investiga suposto complô contra o presidente--ministra

O Equador deu início a uma investigaçãopara esclarecer um suposto complô contra o presidente RafaelCorrea, com o objetivo de identificar sua procedência eproteger o mandatário, disse na terça-feira a ministra daDefesa, Lorena Escudero. Correa, nacionalista que segue a linha do venezuelano HugoChávez, denunciou uma série de ameaças à sua segurança e açõespara desestabilizar o governo, que seriam uma retaliação àsmedidas que vem adotando desde que assumiu o cargo, em janeiro,e que afetaram determinados interesses políticos e econômicos. "Estamos investigando (...) Estamos conscientes de que hátentativas de desestabilização e de ir contra nossopresidente", disse Escudero em uma entrevista pela TV. "As forças armadas estão fazendo as investigações e tomandoprovidências para proteger o processo político do Equador, etambém o nosso presidente", acrescentou. As medidas tomadas por Correa, segundo ele para beneficiaros pobres do país, vêm gerando confronto com vários setores,entre eles o bancário e empresarial. Escudero não especificou quanto tempo vai durar ainvestigação nem quando será apresentado um relatório sobre adenúncia. O presidente recusa-se a identificar os autores dassupostas ameaças, mas advertiu que as forças armadas estãotomando medidas preventivas até que o inquérito sejaconcluído.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.