Equador mostra apoio a Evo Morales após incidente em voo

O presidente do Equador, Rafael Correa, mostrou apoio ao líder bolivariano Evo Morales nesta terça-feira após França e Portugal rejeitarem o pedido de entrada do avião do presidente da Bolívia em seus respectivos espaços aéreos, forçando a aeronave a pousar na Áustria.

AE, Agência Estado

03 de julho de 2013 | 01h06

"Nossa solidariedade está com Evo e o bravo povo boliviano", afirmou Correa em uma mensagem no Twitter. O presidente do Equador acrescentou que "tanto abuso não pode ser tolerado".

O ministro de Relações Exteriores do Equador, Ricardo Patiño, disse anteriormente na terça-feira que o país iria convocar uma reunião extraordinária da União de Nações Sul-Americanas para discutir o incidente.

O governo da Bolívia disse que o voo de Morales foi forçado a pousar na Áustria, em meio a especulações pela França e Portugal de que Edward Snowden, delator de programas secretos dos EUA, estava a bordo. A Bolívia negou que Snowden estivesse no avião presidencial.

Morales estava voltando para a Bolívia depois de participar de uma reunião de cúpula de exportadores de gás na Rússia.

Snowden está no aeroporto internacional de Moscou desde que voou para a Rússia, de Hong Kong, no mês passado. Ele é procurado nos EUA por vazamento de informações secretas sobre programas de vigilância da Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês). Snowden solicitou asilo político para cerca de 20 países, incluindo Bolívia, Equador e Brasil. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
equadorbolíviasnowden

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.