Equador pede mobilizações pacíficas pela Constituinte

O ministro de Governo (Interior) do Equador, Gustavo Larrea, fez na quinta-feira um apelo para que as mobilizações anunciadas para segunda-feira em favor de uma Assembléia Constituinte com plenos poderes sejam pacíficas.Larrea pediu aos movimentos sociais que se manifestem em Quito, em frente à sede do Congresso Nacional. O Parlamento deve se reunir na segunda-feira para debater a convocação de uma consulta popular sobre a Constituinte, feita pelo presidente Rafael Correa."A população tem o direito de se manifestar, mas não de usar a violência", disse Larrea.No dia 31 de janeiro, partidários do governo invadiram o Congresso, que discutia a convocação da consulta.Segundo o ministro, o Executivo está disposto a dialogar e a aceitar "algumas propostas" do Legislativo, mas não uma Constituinte sem plenos poderes. "Não estamos dispostos a convocar uma Assembléia Constituinte que não vá mudar nada no país", disse.Correa e seus ministros estão em Tena para uma reunião do gabinete itinerante, a primeira desde a sua posse, em 15 de janeiro. Eles estão hospedados perto da casa do ex-presidente Lúcio Gutiérrez, do Partido Sociedade Patriótica (PSP).O grupo de Gutiérrez se alinhou com a maioria de direita, que se opõe a Correa no Congresso. Mas, em relação à Constituinte, mantém uma postura ambígua.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.