Equador prende quadrilha suspeita de dar apoio a guerrilhas da Colômbia

93 uniformes de camuflagem e 1.864 projéteis de fuzil foram apreendidos no norte do país

estadão.com.br,

13 de setembro de 2010 | 17h52

QUITO- A polícia do Equador desarticulou uma rede suspeita de abastecer grupos insurgentes da Colômbia com artigos de guerra, em uma operação que seu suposto líder foi preso, informou o órgão nesta segunda-feira, 13, segundo a agência de notícias AFP.

 

Foram apreendidos 93 uniformes de camuflagem e 1.864 projéteis de fuzil, de acordo com Pablo Salazar, comandante encarregado da Polícia na província de Imbabura, no norte do país, onde a operação foi realizada.

 

"Pelo tipo de calibre de munição apreendida (2.23, usada em fuzis AR-15), presume-se que tinha com destino os grupos insurgentes da Colômbia", disse o policial a jornalistas.

 

"Isto também pode ser concluído pelos uniformes, permitindo a desarticulação de um importante braço de apoio e abastecimento logístico para grupos irregulares do vizinho país do norte", acrescentou.

 

O Equador rompeu relações com a Colômbia em março de 2008, após militares desse país atacarem um acampamento das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) que estava clandestinamente instalado no Equador. Morreram na ação o líder do grupo Raúl Reyes e outras 24 pessoas.

 

O Equador denunciou a violação de sua soberania, mas no fim de 2009 os vínculos se restabeleceram no grau de encarregados de negócios, situação mantida até hoje.

Tudo o que sabemos sobre:
EquadorColômbiaguerrilhaFarc

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.