EFE/Rolando Enríquez
EFE/Rolando Enríquez

Equador vai recontar votos após candidatos contestarem resultado de eleições presidenciais

Novo cálculo da votação será feito na terça-feira em público na capital do país; serão reavaliados 1.275.450 votos de 3.865 atas de votação

O Estado de S.Paulo

14 Abril 2017 | 10h26

QUITO - O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) do Equador aprovou na noite de quinta-feira uma recontagem parcial de votos na recente disputa presidencial, em um esforço para destacar o que afirma ter sido um processo justo, depois que o candidato conservador alegou fraude.

As eleições de 2 de abril foram vencidas pelo candidato socialista, Lenín Moreno, em uma disputa apertada. A recontagem de 1.275.450 votos, que correspondem a 12% do total, ocorrerá na terça-feira em público na capital.

O conselho não revelou quais urnas serão recontadas. "Vamos abrir as urnas... para mostrar ao país a verdade. Não temos nada a esconder", disse Juan Pablo Pozo, diretor do conselho eleitoral.

Apesar de sair vitorioso, o partido de Moreno também contestou os resultados, dizendo que seu candidato teria vencido por uma margem maior que a mostrada.

Moreno, do oficialista Alianza Pais (AP, esquerda), venceu com 51,16% dos votos válidos, contra 48,84% para seu oponente Guillermo Lasso, do Creando Oportunidades (CREO, centro-direita), de acordo com o conselho eleitoral. / REUTERS e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.