Equilíbrio entre oposição e governo nas eleições no Zimbábue

Apuração deve acabar em dois dias; opositores temem que Mugabe tente manipular para se manter no poder

Efe,

31 de março de 2008 | 04h58

Os primeiros resultados das eleições anunciados pela Comissão Eleitoral do Zimbábue apontam um equilíbrio entre a oposição e o governo. As eleições ocorreram no sábado e o processo de apuração deve se prolongar por dois dias.   Resultado das eleições no Zimbábue deve sair nesta segunda Governo zimbabuano alerta oposição por declaração de vitória Oposição diz que lidera a votação no Zimbábue Eleições terminam no Zimbábue sob ameaça de fraudes   Nas eleições parlamentares, três das seis cadeiras anunciadas foram parar nas mãos do partido governante Zanu-PF e os outros três ao opositor Movimento para a Mudança Democrática (MDC).   A oposição já canta vitória, de acordo com seus próprios dados. A Comissão Eleitoral sustenta que corresponde só a ela mesma anunciar os dados da apuração e que ninguém mais está autorizado a fazê-lo.   O MDC teme que o regime de Robert Mugabe, 84 anos, no poder desde 1980 e que buscava no sábado uma nova reeleição, possa manipular os dados da apuração para atribuir-se uma vitória.   Observadores eleitorais pediram uma rápida publicação dos resultados eleitorais para evitar tensões que possam derivar em confrontos violentos.   Ao divulgar os primeiros resultados, o subchefe da Comissão Eleitoral, Utoile Silaigwana, anunciou que em um comparecimento posterior serão divulgados novos dados.

Tudo o que sabemos sobre:
Zimbábueeleição no Zimbábue

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.