AP Photo/Carolyn Kaster
AP Photo/Carolyn Kaster

Equipe de Biden começa processo de transição apesar de Trump não reconhecer vitória

Presidente eleito disse que o atraso de duas semanas no processo ameaçou a segurança nacional; democrata já pode receber informações de segurança nacional na terça-feira

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de novembro de 2020 | 13h17

WASHINGTON - A equipe do presidente eleito Joe Biden começou nesta terça-feira, 24, a interagir com seus colegas no governo atual para iniciar o processo de transição, depois que o governo do presidente Donald Trump abriu formalmente o caminho na segunda-feira para uma transferência ordenada de poder.

Depois de um atraso de mais de duas semanas após a vitória de Biden na eleição, faltando apenas 57 dias para sua posse. Biden disse que o atraso na transição ameaçou a segurança nacional ao privar sua equipe de instruções críticas.

E ele alertou que a distribuição de vacinas para combater o coronavírus estaria em risco se seus conselheiros não pudessem trabalhar lado a lado com as autoridades de saúde atuais.

Essas reuniões devem começar imediatamente, uma vez que os preparativos que estão em andamento há meses começam a funcionar.

No Pentágono, autoridades disseram que os membros da equipe de transição de Biden contataram o Departamento de Defesa na noite de segunda-feira, logo depois que Emily W. Murphy, a chefe da Administração de Serviços Gerais (GSA), anunciou que a transição poderia começar.

“Começaremos imediatamente a implementar nosso plano para fornecer suporte de acordo com o estatuto do Departamendo de Defasa e o memorando de acordo entre a Casa Branca e a equipe Biden-Harris ”, disse a porta-voz do Pentágono, Sue Gough, em um comunicado. “A Força-Tarefa de Transição organizará e coordenará todos os contatos com a equipe Biden-Harris.”

Outras partes da equipe de transição também entraram em contato com os contatos de sua agência horas após a decisão de Murphy.

Em um memorando enviado aos funcionários da Casa Branca na noite de segunda-feira, Mark Meadows, o chefe de gabinete, escreveu que Murphy havia feito uma "averiguação" sobre os resultados da eleição de 2020 "para permitir o início de uma transição presidencial".

Ele lembrou a equipe de conduzir todas as comunicações relacionadas ao trabalho com contas de e-mail oficiais da Casa Branca. E ele disse que os registros devem ser preservados.

Ele também alertou contra o contato não autorizado da equipe da Casa Branca - formalmente conhecida como membros do Gabinete Executivo do Presidente - com membros da equipe de transição de Biden.

“A menos que especificamente autorizado os membros do gabinete não está autorizado a falar diretamente com um membro da equipe de transição Biden ou com o coordenador de transição federal.”

O aviso ressaltou a sensibilidade que geralmente acompanha as discussões entre as administrações durante uma transição e a necessidade de sigilo.

Não está claro quando Biden receberá seu primeiro briefing de segurança nacional como presidente eleito. Autoridades de transição disseram que é fundamental que o próximo presidente esteja ciente das ameaças potenciais e da dinâmica internacional que Trump recebe no que é conhecido como o “briefing presidencial diário” (Presidential Daily Brief).

Biden pode começar a receber briefings regulares já na terça-feira, disseram autoridades. Com o aumento da pandemia, os funcionários da transição também estão especialmente ansiosos para começar a coordenação com os funcionários dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, os Institutos Nacionais de Saúde e membros do projeto Warp Speed, que é responsável pela distribuição acelerada da vacina.

Funcionários da transição disseram que querem começar a receber dados oficiais do governo sobre o número de casos, hospitalizações e mortes pelo vírus.

As reuniões entre o grupo consultivo de coronavírus de Biden e funcionários de saúde do governo deveriam começar na terça-feira e se intensificar nos próximos dias.

O início da transição formal também abre caminho para verificações de antecedentes pelo governo dos indicados ao gabinete de Biden e outros assessores importantes que exigem autorizações de segurança de alto nível.

Essas verificações, que são conduzidas pelo FBI e outras agências, também foram retidas até a liberação de Trump.

Outras mudanças menores também ocorrerão. Os membros da transição começarão a usar contas de e-mail do governo - terminando em ptt.gov, para "equipe de transição presidencial" - e o site oficial de transição de Biden já foi transferido para um servidor governamental e foi renomeado como buildbackbetter.gov./NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.