Erin Schaff/The New York Times
Erin Schaff/The New York Times

Equipe de Trump quer data limite em inquérito sobre obstrução de Justiça

Rudolph Giuliani, advogado do presidente americano, diz que investigação conduzida pelo procurador especial Robert Mueller prejudicará republicanos em eleição de meio de mandato se não for encerrada até setembro

O Estado de S.Paulo

20 Maio 2018 | 21h23

WASHINGTON - O procurador especial Robert Mueller deve encerrar em 1.º de setembro sua investigação sobre a possível obstrução de Justiça do presidente americano, Donald Trump, ao inquérito sobre a Rússia, sugeriu neste domingo, 20, Rudolph Giuliani, advogado do presidente.

Procurador admite que não pode indiciar Trump por ingerência russa

Giuliani negou que sua declaração se trata de uma pressão pública ao procurador e disse que o prazo foi mencionado há duas semanas pelo gabinete de Mueller. Ele argumentou, porém, que se a conclusão do inquérito levar mais tempo poderá influenciar negativamente os eleitores na votação de meio de mandato, em novembro.

“Você não deseja uma repetição do ocorrido na eleição de 2016, quando surgiram informações negativas no fim da campanha e não sabe como isso afetou a eleição”, disse Giuliani, se referindo ao fato de o ex-diretor do FBI James Comey ter anunciado a poucos dias da votação presidencial daquele ano que reabriria uma investigação contra Hillary Clinton pelo uso de um servidor privado de e-mails.

Segundo os democratas, o anúncio de Comey sobre a investigação contra Hillary foi uma das principais causas para a derrota dela - e o FBI não encontrou nada que constituísse uma transgressão da democrata.

Trump revela formalmente reembolso a advogado que pagou atriz pornô

Quando Mueller entregar seu relatório ao Departamento de Justiça com as conclusões no caso da obstrução, isto não será, necessariamente, o fim de seu trabalho. O exame da obstrução é parte de uma investigação mais ampla, envolvendo a campanha da Rússia para interferir na eleição presidencial de 2016.

Para Giuliani, o resultado da investigação colocará a credibilidade de Trump em confronto com a de Comey. O presidente pediu ao ex-diretor do FBI, nos primeiros dias do seu governo, para encerrar a investigação sobre seu assessor de segurança nacional Michael Flynn, de acordo com memorandos e depoimentos prestados ao Congresso por Comey.

Trump diz que declarações de Giuliani sobre atriz pornô são ‘incorretas’

Esse suposto apelo de Trump é um dos principais episódios que Mueller examina para determinar se houve intenção criminosa de obstruir a investigação sobre a Rússia.

“Queremos que a reunião destes fatos coloque em questão a credibilidade de Trump versus a de Comey, e acho que venceremos e as pessoas entenderão isso”, disse Giuliani, acrescentando que espera também que o Departamento de Justiça abra uma investigação criminal contra Comey por perjúrio e por seu papel no repasse de informações citadas em reportagens do New York Times sobre seus encontros com o presidente.

Giuliani afirmou que o presidente quer que o relatório seja tornado público. Seus comentários repetiram os tuítes de Trump postados horas antes, quando se queixou que uma investigação prolongada prejudicará os republicanos nas eleições de meio de mandato. / THE NEW YORK TIMES, TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.