Equipe médica cubana chega à região de terremoto na China

Os 35 médicos aterrissaram na capital provincial, onde esperam remédios e equipamentos vindos de Cuba

EFE

24 de maio de 2008 | 00h32

Uma equipe de médicos cubanos chegou à zona devastada pelo terremoto de Sichuan (sudoeste da China), no dia 12 de maio, para ajudar nos trabalhos de resgate e socorro. Segundo informou a agência oficial de notícias "Xinhua", a equipe, composta por 35 médicos, aterrissou na sexta-feira em Chengdu, capital provincial, onde esperam neste sábado pela chegada de uma carga de 3,5 toneladas de remédios e equipamentos que vem de Cuba. José Rodríguez, chefe da equipe, assinalou que seus profissionais são especializados em desastres naturais e que participaram de outras operações de ajuda internacional, como o tsunami de 2005 no Sul da Ásia e o terremoto do Peru. O terremoto, de 8 graus de magnitude na escala aberta de Richter, foi tão devastador que a China permitiu pela primeira vez desde a criação da República Popular, em 1949, a entrada de equipes médicas de Alemanha, Itália, Rússia, Japão, Coréia do Sul e Cingapura. A tragédia deixou até o momento 55.740 mortos, 24.960 desaparecidos, e cerca de 300 mil feridos.

Tudo o que sabemos sobre:
Terremoto, China

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.