Equipes acreditam que caixas pretas de avião da AirAsia podem aparecer em breve

Enquanto a Marinha da Indonésia disse que mergulhadores ainda não encontraram as caixas pretas do avião da AirAsia que caiu no

Estadão Conteúdo

11 de janeiro de 2015 | 16h53

Mar de Java há duas semanas, mergulhadores concentraram suas atenções em sinais detectados. Há uma crença crescente de que os equipamentos serão encontrados em breve.

Três navios indonésios detectaram os sinais, disse Indroyono Soesilo, ministro coordenador de Assuntos Marítimos. Eles partiram de um local a cerca de 3,5 quilômetros do ponto onde os destroços da aeronave foram encontrados.

Tonny Budiono, coordenador de equipe no Diretório de Transportes Marítimos disse em um comunicado que os sinais eram intensos em uma área e que se acreditava que as caixas-pretas poderiam estar debaixo de destroços. Se mergulhadores não puderem liberá-las, todos os destroços serão erguidos do mar.

Outros oficiais alertaram que ainda é cedo para saber com certeza que os sons estariam vindo das caixas-pretas, as quais se soltaram da aeronave quando ela caiu no mar no dia 28 de dezembro, matando todas as 162 pessoas a bordo.

Apesar de notícias de que as caixas pretas já teriam sido encontradas, a informação não foi confirmada pelo porta-voz da Marinha, Manahan Simorangkir, que disse que os mergulhadores ainda não tinham encontrado os equipamentos.

A Comissão para Segurança de Transporte impediu um veículo operado remotamente de sondar a área de onde estavam vindo os sinais. Há o temor de que algum dano possa ser causado às caixas pretas. Os locais deverão ser examinados por mergulhadores.

Um sonar neste domingo detectou um grande objeto na mesma região de onde partiam os sinais. Oficiais inicialmente estavam esperançosos de que seria a principal parte da cabine o Airbus A320, mas os mergulhadores confirmaram que era apenas uma asa e destroços do motor. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IndonésiaAirAsiacaixa preta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.