AFP PHOTO / CNSAS AND AFP PHOTO / Lorenzo NATRELLA
AFP PHOTO / CNSAS AND AFP PHOTO / Lorenzo NATRELLA

Equipes de resgate encerram buscas em hotel soterrado pela neve na Itália

Balanço final da desastre é de 29 mortos e 11 sobreviventes, 9 deles resgatados entre as ruínas e outros 2 que conseguiram fugir da avalanche 

O Estado de S. Paulo

26 Janeiro 2017 | 10h16

ROMA - A busca por desaparecidos entre as ruínas do hotel Rigopiano, soterrado por uma avalanche na Itália, terminou, depois que as equipes de resgates recuperaram na noite de quarta-feira os últimos dois corpos, aumentando o saldo para 29 mortos.

Uma fonte da Defesa Civil informou nesta quinta-feira, 26, que o balanço final é de 29 mortos e 11 sobreviventes, 9 deles resgatados entre as ruínas e outros 2 que conseguiram fugir da avalanche e alertaram as autoridades. A fonte lembrou que a busca usou como base os dados fornecidos pela delegação do Governo de Pescara, onde constavam 40 pessoas dentro do hotel no momento do desastre: 28 hóspedes e 12 funcionários.

O fato aconteceu na tarde do dia 18 de janeiro, quando uma avalanche soterrou o hotel Rigopiano da cidade de Farindola, situado a 1,3 mil metros de altitude no maciço do Gran Sasso, encravado em plena cordilheira dos Apeninos.

A avalanche aconteceu após as intensas nevascas registradas e presumivelmente pela série de terremotos daquele dia nesta região montanhosa da região de Abruzos, quatro deles de magnitude superior a 5 graus na escala Richter.

Os mortos são 15 homens e 14 mulheres e alguns já foram enterrados por seus familiares, como é o caso de Sebastiano Di Carlo e Nadia Acconciamessa, cujo filho Edoardo, de dez anos, sobreviveu à tragédia.

Os trabalhos de resgate terminaram após uma semana de intenso trabalho por parte dos operários que estavam no local, que escavaram sem descanso a neve, as ruínas e os detritos com a esperança de localizar novos sobreviventes.

A Promotoria de Pescara abriu uma investigação para descobrir vários detalhes como a reação dos serviços de emergência após saber do fato e esclarecer se o hotel tinha sido construído em uma região de solo instável. / EFE e AFP

Mais conteúdo sobre:
ItáliaAvalancheTerremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.