Hamawake Elementary School/Kyodo News via AP
Hamawake Elementary School/Kyodo News via AP

Equipes de resgate encontram menino desaparecido em montanha no Japão

Yamato Tanooka, de 7 anos, desapareceu no sábado quando os pais o deixaram na estrada como punição

O Estado de S. Paulo

02 Junho 2016 | 22h09

TÓQUIO - O garotinho japonês Yamato Tanooka, de 7 anos, foi encontrado nesta sexta-feira (noite de quinta-feira em Brasília), 3, pelas equipes de resgate. Ele ficou seis dias desaparecido em uma área montanhosa e de floresta habitada por ursos no norte do Japão. Os pais o fizeram sair do carro para puni-lo por mau comportamento, deixando-o só em uma estrada aos pés do monte Komagatake, na ilha japonesa de Hokkaido, ao norte do país. 

O menino foi encontrado por volta das 7h50 (19h50 de quinta-feira em Brasília) enrolado em um colchão dentro de uma cabana em um antiga base da Força Aérea do Japão. De acordo com informações da emissora NHK, ele estava relativamente bem de saúde, com uma leve desidratação e sinais de hipotermina, e contava com arranhões nas mãos e nas pernas, sem graves lesões.

"Não havia lesões externas visíveis, e o garoto se apresentou como Yamato Tanooka", disse um porta-voz da polícia local. Segundo a agência de notícias Kyodo, o menino esteve na cabana por vários dias após caminhar sozinho pela floresta. 

Embora o menor tenha corrido atrás do veículo, seus parentes asseguraram às autoridades que o perderam de vista e voltaram minutos depois ao local no qual tinham deixado a criança, e ela já não estava mais lá. Os pais esperaram duas horas desde o desaparecimento de Yamato para alertar as autoridades.

Em um primeiro momento, mantiveram a versão de que o garoto havia se perdido enquanto eles recolhiam vegetais na floresta. Depois, reconheceram ter deixado o menor como castigo por mau comportamento, já que ele havia lançando pedras em outros carros e pedestres durante o dia em que a família passou no campo.

Segundo o jornal The Washington PostTakayuki Tanooka, o pai do garoto encontrado, disse à imprensa que havia "ido longe demais" ao abandonar o seu filho, e que pedirá desculpas para ele.

As Forças de Autodefesa japonesas enviaram mais de 70 soldados para colaborar com os 130 policiais e bombeiros que vasculham a área em busca do menor. Autoridades japonesas rastrearam com cachorros e cavalos um perímetro de 15 km desde o ponto no qual o pequeno foi visto pela última vez. 


Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.