AFP PHOTO / ATTAPEU TODAY
AFP PHOTO / ATTAPEU TODAY

Equipes de resgate localizam 19 corpos de vítimas de rompimento de represa no Laos

Centenas continuam desaparecidas e milhares ficaram desalojadas após infraestrutura rachar e atingir aldeias no sudeste do país

O Estado de S.Paulo

25 Julho 2018 | 04h05

BANGUECOQUE - As equipes de resgate do Laos encontraram 19 corpos na região atingida pelo rompimento de uma represa hidrelétrica em construção no sudeste do país. A infraestrutura se rompeu nesta terça-feira, 23, e deixou centenas de pessoas desaparecidas e milhares de desalojados. 

Segundo o governador do distrito de Sanamxay, Bounhom Phommasane, em entrevista ao jornal local Vientiane Times, 19 pessoas foram encontradas mortas e mais de 3 mil moradores pediram socorro para deixar suas residências. Do total, 2.851 já foram resgatadas.

A represa hidrelétrica rachou na noite de segunda-feira, 23, liberando 5 bilhões de metros cúbicos de água sobre ao menos oito aldeias da província de Attapeu. O governo ainda não confirmou a cifra exata de desaparecidos, mas estima que são centenas de pessoas. O rompimento destruiu várias casas e ilhou os sobreviventes. Desde o incidente, equipes de resgate utilizam helicópteros e barcos para a localização de vítimas.

Estimada em  US$ 1 bilhão, a represa estava em construção desde 2013. O projeto foi desenvolvido por uma joint venture formada pela laosiana Lao Holding State Enterprise, a tailandesa Rathaburi Eletricity Holding e pela sul-coreana Korea Western Power. As empresas alegam que as fortes chuvas foram responsáveis pelo vazamento e rompimento da infraestrutura e que estão atuando em cooperação com o governo do Laos no resgate às vítimas.

“Estamos montando uma equipe de emergência e planejando para ajudar a retirar e resgatar os moradores de vilarejos próximos da represa”, disse um porta-voz da SK Engineering & Construction.

Nesta quarta-feira, 25, a Coreia do Sul anunciou que enviará auxílio emergencial ao Laos para ajudar na busca por vítimas. "O presidente ordenou medidas robustas, incluindo o envio de uma equipe de emergência, enquanto apura as causas do acidente, visto que nossas empresas estavam participando da construção da represa", anunciou um porta-voz do governo sul-coreano. //REUTERS, EFE, AFP

ACOMPANHE: Rompimento de represa destrói aldeias e deixa centenas de desaparecidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.