Equipes de resgate lutam para salvar 180 mineiros na China

Equipes de resgate da Chinabombeavam freneticamente a água dos poços de uma mina inundada,com poucas esperanças de encontrar com vida nesta segunda-feiracerca de 180 mineiros presos no local há três dias. O desastre na província da costa oriental de Shandong é omais recente a atingir a indústria de carvão na China, a quemais contabiliza mortos no mundo, com 2.000 vítimas deacidentes nos primeiros sete meses deste ano.Como resultado da deficiente segurança da indústria no país, 14pessoas morreram na noite do domingo em decorrência doderramamento de alumínio derretido em uma fundição na mesmaprovíncia. Os mineiros estão presos desde a sexta-feira, quando umdique de um rio estourou e inundou os poços da mina. Não estáclaro se os mineiros morreram afogados ou se podiam estarpresos em um nível superior. "A prioridade número um é bombear toda a água possível dopoço da mina", disse a jornalistas Bu Changseng, umespecialista em segurança do trabalho contratado pelo governo. Um dia antes do acidente, funcionários de segurança daprovíncia reunidos em Xintai discutiram a ameaça das inundaçõesdas minas de carvão. Eles destacaram a área onde aconteceu odesastre de sexta-feira, demonstrando que conheciam os riscossazonais das fortes chuvas. A China depende do carvão para alimentar seu crescimentoeconômico e, com os preços nacionais da matéria-prima em níveisrecordes, alguns operadores aumentam a produção além doslimites de segurança, apesar dos esforços do governo emreforçá-los. Devido à frequência, os acidentes em minas na China nãoatraem a mesma atenção da mídia que nos Estados Unidos, onde osesforços para resgatar seis mineiros presos em Utah ocuparam asprimeiras páginas dos jornais durante duas semanas. (Reportagem adicional de Chris Buckley e Lindsay Beck)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.