AFP PHOTO
AFP PHOTO

Equipes de resgate recuperam 47 corpos de avião que caiu no Paquistão

Eles serão transferidos pelo Exército a hospitais de Islamabad para iniciar os trabalhos de identificação; autoridades paquistanesas começaram as investigações sobre acidente

O Estado de S.Paulo

08 Dezembro 2016 | 08h43

ISLAMABAD - Equipes de resgate recuperaram nesta quinta-feira, 8, os corpos das 47 pessoas que viajavam no ATR-42 da companhia aérea Pakistan International Airlines (PIA), que se chocou na quarta-feira contra uma montanha no norte do país, de acordo com informações de uma fonte oficial.

"Recuperamos 47 corpos das pessoas que viajavam na aeronave. Mas foi possível identificar apenas 5 corpos, por isso haverá necessidade de recorrer à análise de DNA", disse Latifur Rehman, porta-voz da Autoridade de Gestão de Desastres da Província de Khyber Pakhtunkhwa, onde aconteceu o acidente.

Ele explicou que os corpos serão transferidos pelo Exército para hospitais de Islamabad e a cidade vizinha de Rawalpindi, onde acontecerão os trabalhos de identificação. O Escritório de Comunicação de Exército (ISPR) afirmou, em comunicado, que usará três helicópteros para realizar o transporte ao longo do dia.

Autoridades paquistanesas já começaram a investigação sobre o acidente. "A investigação começou. Temos pessoal no terreno estudando os destroços do avião", disse o porta-voz da Autoridade de Aviação Civil do Paquistão, Pervez George. Ele disse que ainda se desconhece o conteúdo da caixa-preta, recuperada entre as ferragens da aeronave.

O presidente da PIA, Azam Sehgal, afirmou em um entrevista coletiva que, de acordo com os pilotos do avião, um dos dois motores do bihélice ATR-42 parou de funcionar e pouco depois eles pedirem ajuda. Em seguida, o avião perdeu a comunicação com a torre de controle.

O ATR-42 da PIA decolou da cidade de Chitral rumo a Islamabad às 15h locais e caiu em uma colina na região de Batolmi, segundo a companhia. Na aeronave viajavam 42 passageiros, entre eles 2 austríacos e 1 chinês, e 5 tripulantes. / EFE

Mais conteúdo sobre:
Acidente Aéreo Paquistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.