AFP
AFP

Equipes de resgate recuperam corpos das 54 vítimas do acidente com avião na Indonésia

Autoridades disseram que a aeronave ficou totalmente destruída e caixa preta foi encontrada; mau tempo dificulta traslado dos corpos 

O Estado de S. Paulo

18 de agosto de 2015 | 07h04

JAYAPURA, INDONÉSIA - Equipes de resgate localizaram os 54 corpos das vítimas do voo da Trigana Air Service que caiu no domingo 16 na Indonésia, informou o chefe da agência nacional de resgates, Henry Soelistyo, nesta terça-feira, 18. Segundo ele, a caixa preta da aeronave foi localizada. "Não há sobreviventes. Os 54 corpos foram encontrados", afirmou o porta-voz do Ministério de Transportes J.A. Barata, acrescentando que o mau tempo dificulta o traslado dos corpos.

O avião, que fazia o trajeto entre as cidades de Jayapura e Oksibil com 49 passageiros e cinco membros da tripulação, provavelmente bateu contra uma montanha, disseram autoridades locais.

Mais de 70 funcionários das equipes de resgate chegaram ao local do acidente nesta terça, após um atraso causado por dificuldades de acesso à mata fechada e pelo tempo ruim. “O avião foi completamente destruído e todos os corpos foram queimados, é difícil identificá-los”, disse Soestyo. Os corpos serão levados a Jayapura, capital da província de Papua, para a identificação.

O chefe da agência de resgates informou que os destroços foram encontrados em uma altitude de 2.600 metros. Boa parte da província de Papua é coberta por mata fechada e outros aviões que sofreram acidentes no país não foram encontrados.

O centro de administração de crise montado pela companhia aérea no aeroporto de Jayapura informou que todos os passageiros eram indonésios, sendo que três eram integrantes do governo local e dois do Congresso. Eles iriam a uma cerimônia de comemoração do 70.º aniversário de independência da Indonésia.

Esse foi o terceiro acidente aéreo no país em menos de um ano. O avião da Trigana Air havia perdido contato com a torre de conrole no domingo 10 minutos antes do horário previsto para o pouso. O piloto chegou a pedir autorização para aterrizar. /AFP e AP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.