AFP PHOTO
AFP PHOTO

Equipes de resgate retomam buscas por sobreviventes do terremoto na Indonésia

Agência Nacional de Prevenção de Desastres elevou o número de mortos para 102; tremor provocou danos em mais de 400 imóveis e edifícios, incluindo mesquitas, hospitais e escolas

O Estado de S.Paulo

08 Dezembro 2016 | 08h10

BANGCOC -  Equipes de resgate retomaram nesta quinta-feira, 8, a busca por sobreviventes sob os escombros na Província de Aceh, na Indonésia, abalada na quarta-feira por um terremoto de 6,5 graus na escala Richter que causou a morte de mais de 100 pessoas.

O porta-voz da Agência Nacional de Prevenção de Desastres (BNPB), Sutopo Purwo Nugroho, divulgou um balanço atualizado de 102 mortos e 616 feridos, 136 deles em estado grave, segundo seu último comunicado.

A maioria das vítimas foi resgatada em Pidie Jaya, capital da regência do mesmo nome, situada cerca de 120 quilômetros de Banda Aceh, capital provincial. Sutopo alertou que o número de mortos ainda pode subir, enquanto equipes continuam os trabalhos de resgate na região.

O tremor, que teve mais de uma dúzia de réplicas - uma delas de magnitude 4,5 -, provocou danos em 429 imóveis e 157 edifícios, incluindo lojas, mesquitas, hospitais e escolas, segundo o comunicado da BNPB. Além disso, o sismo obrigou o deslocamento de 3.267 pessoas em Pidie Jaya e Bireuen, acrescentou a agência.

A região onde ocorreu o terremoto é a mesma abalada em 2004 por um tremor de magnitude superior a 9, causando um tsunami no Oceano Índico e matando cerca de 230 mil pessoas em 12 países.

A Indonésia está localizada no "Círculo de Fogo do Pacífico", uma região de grande atividade sísmica e vulcânica que é abalada todos os anos aproximadamente 7 mil tremores, a maioria deles moderados. / EFE e ASSOCIATED PRESS

Mais conteúdo sobre:
Terremoto Indonésia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.